sábado, 17 de fevereiro de 2018

O secularismo é definido como profano (versus sagrado) 

OS DESAFIOS CRISTÃOS AO CRITICISMO DO SECULARISMO

É necessária uma análise do conceito da palavra “secularização” para entendermos como o deus deste século trabalha de forma ardil no mundo espiritual. E será possível uma compreensão detalhada de como as coisas estão acontecendo no mundo pós-moderno.
A palavra “Secularismo” vem do latim “saeculum” faz referência a uma época ou de uma geração. No latim eclesiástico, significa “o mundo”, ou “a vida do mundo” que pode também significar “o espírito do mundo”, que se entende vem o sentido da palavra “secularização”. No estudo contemporânea, secularismo e humanismo são frequentemente entendidos como humanismo secular, que faz uma abordagem à vida de pensamento, indivíduo e sociedade, que glorifica a criatura em vez do Criador.

“O que é secularismo? Termos afins a este conceito são materialismo, humanismo, racionalismo, consumismo, existencialismo, religionismo, nominalismo e mundanismo. Secularismo é o inverso da espiritualidade bíblica na vida do crente. Secularismo é, no caso da vida da igreja, uma forma sutil, capciosa, ardilosa e disfarçada de corrupção na igreja. Seus pecados são, na maior parte, pecados do espírito. ” [Gilberto. Revista obreiro, p. 37].

De certa forma, já é notado que o secularismo já é presente em algumas igrejas cristãs. O secularismo força a crença na profanação do sagrado. Quando uma igreja se torna secular, os valores espirituais não são mais valorizados e da ênfase a exaltação humanas e valores materiais. Há igrejas, que já se transformaram em palcos de entretenimentos, animações e levando pessoas a motivações emocionais. A Bíblia, porém, afirma: “Mui fiéis são os teus testemunhos; a santidade convém à tua casa, Senhor, para sempre” (Sl 93.5).

A humanidade vivenciou diferentes momentos ao longo da história, com características bastante específicas que contribuíram para distinguir de forma clara uma época da outra. A Era Moderna, por exemplo, teve como marca o avanço do conhecimento humano, o advento da industrialização, a predominância da luta ideológica, a expansão da fé cristã ao redor do mundo, a proliferação das seitas e a aceitação das religiões vindas do oriente e a miscigenação ocidental.  

Já os tempos Pós-Modernos, este que estamos vivendo, são apontados pelo progresso, mas sobretudo pelos conflitos e contradições da Era Moderna, e possuem, por isso mesmo, características bastante peculiares. Assim, a Igreja e seus obreiros se vêem diante de um grande desafio, o da secularização, prática esta que pode esvaziar a religião existente. Na Pós modernidade, a religião deixou a dimensão pública e passou a restringir à esfera privada. Numa tentativa de se libertar da cultura religiosa com padrões morais absolutos, o indivíduo pós-moderno criou uma religiosidade interior, subjetiva e sem culpa.

 Neste sentido, as pessoas optam por suas “preferências” religiosas sem se importarem com as opiniões contrárias. Os critérios que orientam essas escolhas são todos pessoais e subjetivas, não tem o respaldo das Escrituras Sagradas. E que mais intriga é que esse novo modelo não impõe sua nova fé a ninguém. Na Igreja, o que antes era convicção, hoje tornou-se opção. Os mandamentos divinos passaram a ser “sugestões divinas”. A Igreja passou a ser orientada por aquilo que “dá certo” e não por aquilo que “é certo”.

Os Cristãos que afirmam racionalidade, entretanto, devem estar preparados para aceitar duras críticas, e para cultivar uma atitude de autocrítica dentro de suas próprias comunidades. As doutrinas e formas de espiritualidade consideradas tradicionais, junto com a própria Bíblia, pode se dizer que não estão isentas de investigação crítica. Esta se torna necessária devido a aliança entre fé e razão.

 Nesta investigação, a confiança Cristã na verdade de Deus e de Sua revelação deve ser forte o bastante para crer que a verdade não vai sucumbir a nenhuma descoberta da investigação crítica. Certo que há formas de críticas vis e preconceituosas que sendo distorcidas pressupõe uma visão de mundo secularista que são maléficas à fé Cristã. Para que a investigação crítica possa florescer, tais falsos críticos tem que ser firmemente expostos e de forma severa rejeitados.

Concluo que, se pensarmos que devemos blindar a verdade revelada de Deus da investigação crítica, na verdade demostramos nossa descrença. A investigação, enquanto pode as vezes apresentar suas dificuldades, irá no final realçar a gloria da verdade de Deus. A nossa crença na verdade, na anunciação da vida, será nossa única resposta, também da igreja aos desafios do secularismo.

No livro de Dean Kelley, escrito há quase vinte e cinco anos atrás, com o título em inglês, Why Conservative Churches Are Growing (Porque Igrejas Conservadoras Estão Crescendo). O que as pessoas estão buscando na religião é uma alternativa plausível, ou no mínimo um complemento à vida numa sociedade secular. A religião que é nada mais do que ou provavelmente não será nada interessante.



Manoel Messias

sábado, 27 de janeiro de 2018


REVISTA DO SEGUNDO TRIMESTRE DA CPAD 2018
VALORES CRISTÃOS
Pr. Douglas Roberto de Almeida Baptista
O segundo trimestre da revista da CPAD, será comentada pelo Pastor Douglas Baptista, presidente da ADMDF, Assembleia de Deus de Missão-DF. Pastor Douglas é também, primeiro Secretário de nossa Convenção COMADEBG. TITULAÇÃO: Doutor em Teologia Sistemática; Mestre em Teologia do Novo Testamento; Mestre em Ciências das Religiões; Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior; Pós-Graduado em Bibliologia; Licenciado em Educação Religiosa; Licenciado em Filosofia; Bacharel em Teologia. ATIVIDADES ECLESIÁSTICAS: Presidente da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal; Presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica; Presidente do Conselho de Educação e Cultura da CGADB, Presidente da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil. Segundo Vice Presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás; Diretor Geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.
Para nós é uma honra estudar o assunto "Valores Cristãos" enfatizando A ÉTICA em vários aspectos, comentado pelo o nobre companheiro. É necessário e urgente o estudo do tema, pois terá a responsabilidade de mostrar para a sociedade cristã, os perigos da pós modernidade em que os valores estão cada dia mais invertidos.
Acreditamos que a abordagem dos assuntos proposto pelo autor, vai de certa forma mexer nas ideologias, diversidades e tabus.

Parabéns, que o Senhor o abençoe sempre.

Pr. Manoel Messias

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017


MENSAGEM DE ANO NOVO

2018


O ano de 2017 se vai e com ele também, muitas coisas que não deram certo, mas o motivo do posts não é falar sobre isso.

Esse ano foi movido por muitas emoções e também de tristezas, nos momentos bom compartilhamos amor, companheirismo e atos fraternos.

Viagens inesquecíveis, conquistas que a tempos aguardávamos, amigos que ganhamos e momentos alegres com familiares e amigos.

Também foi de tristezas e perdas, ficou marcado em meu coração a partida de meu cunhado Pr. Nonato, que sempre nestes períodos de festas era figura presente, era ele que fazia as delícias do Natal e Ano Novo. Em especial o delicioso feijão tropeiro e a decoração da mesa com frutas.

Amenizado a dor, pois sabemos que está em um bom lugar aguardando o céu eterno. Mas a saudade é grande e a falta de sua presença nestes períodos de festas é grande, mas nos alegra em saber que estás no descanso eterno.

Também de perdas de amigos e parentes próximos. Como o ano não é apenas de alegrias, entendemos que os dessabores fazem parte de nossas vidas.

2018 está chegando cheinho de novidades. Deus nos reservou para esse ano muitas coisas boas que com certeza iremos desfrutar, se assim, ele o permitir.

Espero estar com o coração limpo e pronto para esperar o melhor de Deus na minha vida pois com certeza, vivendo assim, ficarei mais próximo daquilo que se chama felicidade!

Aos amados irmãos, amigos reais, virtuais, colegas dentre todos os seguidores do meu blog, desejo um Feliz 2018 e que bênçãos sem medidas possam alcançar cada coração de todos sempre!


Feliz Ano Novo!

Manoel Messias